21/07/2008

Diariamente

Pena que tudo mude diariamente. Por isso, escrevi algumas alterações que (feliz ou infelizmente) deveriam ser feitas nesta música.

Para calar a boca: rícino (mute)
Pra lavar a roupa: omo (Vanish)
Para viagem longa: jato (i pod)
Para difíceis contas: calculadora (excel)

Para o pneu na lona: jacaré (mecânico)
Para a pantalona: nesga (armário)
Para pular a onda: litoral (praia longe)
Para lápis ter ponta: apontador (lapiseira)

Para o Pará e o Amazonas: látex (turismo)
Para parar na Pamplona: Assis (coragem)
Para trazer à tona: homem-rã (salva vidas)
Para a melhor azeitona: Ibéria (pagar caro)

Para o presente da noiva: marzipã (mega juice)
Para Adidas, o Conga: nacional (pagar caro)
Para o outono, a folha: exclusão (estação)
Para embaixo da sombra: guarda-sol (filtro solar)

Para todas as coisas: dicionário (internet)
Para que fiquem prontas: paciência (pagar bem)
Para dormir a fronha: madrigal (lençol egípcio)
Para brincar na gangorra: dois (dentro do prédio)

Para fazer uma toca: bobs (com a chapinha, touca agora só de lã)
Para beber uma coca: drops (coca zero)
Para ferver uma sopa: graus (microondas)
Para a luz lá na roça: duzentos e vinte volts (programa luz para todos)

Para vigias em ronda: café (internet)
Para limpar a lousa: apagador (com o quadro branco, pode ser a mão mesmo)
Para o beijo da moça: paladar (ficar)
Para uma voz muito rouca: hortelã (cristais de gengibre)

Para a cor roxa: ataúde (a moda)
Para a galocha: Verlon (cores)
Para ser "mother": melancia (para ser famosa)
Para abrir a rosa: temporada (estufa)

Para aumentar a vitrola: sábado (antiquário)
Para a cama de mola: hóspede (todo mundo tem uma cama de mola)
Para trancar bem a porta: cadeado (3 fechaduras doberman, dois alarmes conectados ao celular e cerca elétrica)
Para que serve a calota: Volkswagen (antiquário)

Para quem não acorda: balde (celular)
Para a letra torta: pauta (não precisa arrumar, daqui a uns anos ninguém mais precisará escrever)
Para parecer mais nova: Avon (botox)
Para os dias de prova: amnésia (cola eletrônica)

Para estourar pipoca: barulho (microondas)
Para quem se afoga: isopor (sucção)
Para levar na escola: condução (van)
Para os dias de folga: namorado (que folga? quem hoje em dia tem folga?)

Para o automóvel que capota: guincho (seguro)
Para fechar uma aposta: paraninfo (cavalos)
Para quem se comporta: brinde (obrigação)
Para a mulher que aborta: repouso (cadeia)

Para saber a resposta: vide-o-verso (google)
Para escolher a compota: Jundiaí (Pelotas)
Para a menina que engorda: hipofagin (Anorexia)
Para a comida das orcas: krill (oil free)

Para o telefone que toca (vibra call)

Para a água lá na poça (enchentes)

Para a mesa que vai ser posta (família)

Para você, o que você gosta:

Diariamente.

0 disseram que...:

Diariamente

Posted 12:06 by Bia in Marcadores:
Pena que tudo mude diariamente. Por isso, escrevi algumas alterações que (feliz ou infelizmente) deveriam ser feitas nesta música.

Para calar a boca: rícino (mute)
Pra lavar a roupa: omo (Vanish)
Para viagem longa: jato (i pod)
Para difíceis contas: calculadora (excel)

Para o pneu na lona: jacaré (mecânico)
Para a pantalona: nesga (armário)
Para pular a onda: litoral (praia longe)
Para lápis ter ponta: apontador (lapiseira)

Para o Pará e o Amazonas: látex (turismo)
Para parar na Pamplona: Assis (coragem)
Para trazer à tona: homem-rã (salva vidas)
Para a melhor azeitona: Ibéria (pagar caro)

Para o presente da noiva: marzipã (mega juice)
Para Adidas, o Conga: nacional (pagar caro)
Para o outono, a folha: exclusão (estação)
Para embaixo da sombra: guarda-sol (filtro solar)

Para todas as coisas: dicionário (internet)
Para que fiquem prontas: paciência (pagar bem)
Para dormir a fronha: madrigal (lençol egípcio)
Para brincar na gangorra: dois (dentro do prédio)

Para fazer uma toca: bobs (com a chapinha, touca agora só de lã)
Para beber uma coca: drops (coca zero)
Para ferver uma sopa: graus (microondas)
Para a luz lá na roça: duzentos e vinte volts (programa luz para todos)

Para vigias em ronda: café (internet)
Para limpar a lousa: apagador (com o quadro branco, pode ser a mão mesmo)
Para o beijo da moça: paladar (ficar)
Para uma voz muito rouca: hortelã (cristais de gengibre)

Para a cor roxa: ataúde (a moda)
Para a galocha: Verlon (cores)
Para ser "mother": melancia (para ser famosa)
Para abrir a rosa: temporada (estufa)

Para aumentar a vitrola: sábado (antiquário)
Para a cama de mola: hóspede (todo mundo tem uma cama de mola)
Para trancar bem a porta: cadeado (3 fechaduras doberman, dois alarmes conectados ao celular e cerca elétrica)
Para que serve a calota: Volkswagen (antiquário)

Para quem não acorda: balde (celular)
Para a letra torta: pauta (não precisa arrumar, daqui a uns anos ninguém mais precisará escrever)
Para parecer mais nova: Avon (botox)
Para os dias de prova: amnésia (cola eletrônica)

Para estourar pipoca: barulho (microondas)
Para quem se afoga: isopor (sucção)
Para levar na escola: condução (van)
Para os dias de folga: namorado (que folga? quem hoje em dia tem folga?)

Para o automóvel que capota: guincho (seguro)
Para fechar uma aposta: paraninfo (cavalos)
Para quem se comporta: brinde (obrigação)
Para a mulher que aborta: repouso (cadeia)

Para saber a resposta: vide-o-verso (google)
Para escolher a compota: Jundiaí (Pelotas)
Para a menina que engorda: hipofagin (Anorexia)
Para a comida das orcas: krill (oil free)

Para o telefone que toca (vibra call)

Para a água lá na poça (enchentes)

Para a mesa que vai ser posta (família)

Para você, o que você gosta:

Diariamente.



0 comment(s) to... “Diariamente”
 
Copyright 2009 Bula da Bia. Powered by Blogger Blogger Templates create by Deluxe Templates. WP by Masterplan